O que você precisar sobre a vacinação: antes, durante e depois

Se ainda não chegou para você, o momento para se vacinar contra a Covid-19 está próximo. No entanto, persistem algumas dúvidas sobre como se comportar no período anterior, durante e após a vacinação e sobre ingestão de bebidas alcoólicas. Confira algumas dicas e o que os estudos científicos conseguem demonstrar.

       1. Em primeiro lugar, é consenso no meio científico que é absolutamente necessário vacinar-se com a segunda dose da vacina (as que demandam, embora Janssen e a chinesa CanSino, por exemplo, têm doses únicas). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o controle do novo coronavírus só será possível quando as nações atingirem pelo menos entre 70% e 80% da população vacinada. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), a eficiência da vacina é de 90% após a segunda dose, sendo de 80% após a primeira. Embora a primeira picada da vacina apresente um alto grau de proteção, não se sabe sua duração. Portanto, não deixe de tomar a segunda dose.

2. Outros cuidados básicos durante a vacinação: não deixe de usar máscarahigienizar as mãos e manter distanciamento na fila de espera. Não se esqueça de um documento de identificação e, se tiver, o cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).

3. Sim, mesmo quem já contraiu e curou-se do novo coronavírus deve tomar a vacina. Quem não deve se vacinar:

– Pessoas com hipersensibilidade a algum de seus componentes;

– Pessoas em imunossupressão;

– Pessoas em tratamento contra o câncer (consulte seu médico);

– Pessoas com febre ou com alguma doença em atividade;

– Pessoas com infecção ativa da Covid-19 (neste caso, a vacina iria apenas aumentar a carga viral da doença).

4. Contudo, não se engane: mesmo após a aplicação da segunda dose, leva 14 dias para desenvolver a imunidade. Então, é essencial continuar a se proteger, ter cuidado em lugares fechados, usar máscara e manter distanciamento social pelo menos até esse prazo.

     5. Uso de bebidas alcoólicas

Um dos principais debates ocorre em torno do uso de álcool. A resposta simples e objetiva é que depende da quantidade. O que se sabe até agora é que ingerir doses moderadas após a vacina não apresenta riscos ao organismo nem à efetividade da vacina – pelo contrário, beneficia o sistema imunológico reduzindo inflamações, segundo reportagem do New York Times.

Por outro ado, o consumo alcoólico excessivo pode sim ser danoso uma vez que suprime o sistema imunológico e pode interferir na resposta da vacina.

“É perigoso beber grandes quantidades de álcool porque isso afeta todo o sistema biológico, incluindo o sistema imunológico”, afirmou Ilhem Messaoudi, diretor do Centro de Pesquisa Viral da Universidade da Califórnia, ao NYT.

Há ainda estudos que comprovam que o uso excessivo de álcool freia o sistema imunológico e aumenta a chance de o organismo ser suscetível a infecções virais e bacterianas.

6. Sobre o uso de tabaco, sabe-se que fumantes apresentam um risco maior de desenvolver formas graves da Covid-19. No entanto, como afirmam os médicos Alberto José de Araújo e Luis Maltoni, em artigo a Veja, o ato de fumar pode também favorecer a própria transmissão do vírus. Eles argumentam que a exposição a fumaça ou vapor de tabaco é o principal fator de risco a doenças respiratórias, uma vez que afetam a resposta imune do organismo e contribui para infecções virais e bacterianas. Portanto, é aconselhável evitar e/ou diminuir o uso de tabaco após a vacina, embora não existam estudos que atrelem o tabaco à diminuição de efetividade da vacina.

7. Por fim, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) alerta para evitar o uso de paracetamol em casos suspeitos de Covid-19, o que vale aos sintomas pós-vacinação. Seu uso pode gerar efeitos colaterais severos e até hepatite medicamentosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *